segunda-feira, 31 de outubro de 2011

31 de Outubro, Dia da Reforma Protestante (1517)


Hino 155, IPB



Castelo Forte.


 
Castelo forte é nosso Deus,
Espada e bom escudo!
Com seu poder defende os seus
Em todo transe agudo.
Com fúria pertinaz
Persegue Satanás
Com ânimo cruel!
Mui forte é o Deus fiel,
Igual não há na terra.

A força do homem nada faz,
Sozinho está perdido!
Mas nosso Deus socorro traz
Em seu Filho escolhido.
Sabeis quem é? Jesus,
O que venceu na cruz,
Senhor dos altos céus,
E sendo o próprio Deus,
Triunfa na batalha.

Se nos quisessem devorar
Demônios não contados,
Não nos iriam derrotar
Nem ver-nos assustados.
O príncipe do mal,
Com seu plano infernal,
Já condenado está!
Vencido cairá
Por uma só palavra.

De Deus o verbo ficará,
Sabemos com certeza,
E nada nos assustará
Com Cristo por defesa!
Se temos de perder
Família, bens, prazer!
Se tudo se acabar
E a morte enfim chegar,
Com ele reinaremos!


Martinho Lutero (1483 - 1546)

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Julio Severo

Apenas três bem aventuranças.
Bem aventurados os que tem fome e sede de justiça, porque serão fartos.
Bem aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles deles é o reino dos céus.
Bem aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós.

Serve para os momento politico que estamos vivendo, e épocas sombrias de cristianofobia. Pra quem sabe ler um pingo é um livro inteiro.




Agradeço a Deus pelo trabalho de Julio Severo. Hoje talvez ele seja o mais importante ativista cristão do país. Oremos para que suas palavras não caiam em solo pedregoso ou entre espinhos.
"Quem tem ouvidos para ouvir, ouça" 

domingo, 23 de outubro de 2011

O Evangelho


Sem o evangelho

tudo é inútil e vão;
sem o evangelho
não somos cristãos;
sem o evangelho

toda riqueza é pobreza;
toda sabedoria, loucura diante de Deus;
toda força, fraqueza;
e toda a justiça humana jaz sob a condenação de Deus.
Mas pelo conhecimento do evangelho somos feitos

filhos de Deus,
irmãos de Jesus Cristo,
compatriotas dos santos,
cidadãos do Reino do Céu,
herdeiros de Deus com Jesus Cristo, por meio de quem

os pobres são enriquecidos;
os fracos, fortalecidos;
os néscios, feitos sábios;
os pecadores, justificados;
os solitários, confortados;
os duvidosos, assegurados;
e os escravos, libertados.
O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo o que crê. Assim, tudo o que poderíamos pensar ou desejar deve ser achado somente neste mesmo Jesus Cristo.

Pois ele foi

vendido para nos comprar de volta;
preso para nos libertar;
condenado para nos absolver.
Ele foi

feito maldição para nossa bênção;
ofertado pelo pecado para nossa justificação;
desfigurado para nos tornar belos;
Ele morreu pela nossa vida para que, por seu intermédio,

o furor converta-se em mansidão;
a ira seja apaziguada;
as trevas tornem-se luz;
o temor, reafirmação;
o desprezo seja desprezado;
o débito, cancelado;
o labor, aliviado;
a tristeza convertida em júbilo;
a desdita, em felicidade;
as emboscadas sejam reveladas;
os ataques, atacados;
a violência, rechaçada;
o combate, combatido;
a guerra, guerreada;
a vingança, vingada;
o tormento, atormentado;
o abismo, tragado pelo abismo;
o inferno, trespassado;
a morte, assassinada;
a mortalidade convertida em imortalidade.
Resumindo,

a misericórdia tragou toda a miséria;
e a bondade, toda a infelicidade.
Porque todas essas coisas, que deveriam ser as armas do mal na batalha contra nós, e o aguilhão da morte a nos trespassar, transformam-se em provações que podemos converter em nosso benefício.

Se podemos exultar com o apóstolo, dizendo, Ó inferno, onde está a tua vitória? Ó morte, onde está o teu aguilhão? É porque, pelo Espírito de Cristo prometido aos eleitos, já não somos nós quem vive, mas é Cristo quem vive em nós; e, pelo mesmo Espírito, estamos assentados entre aqueles que estão no céu, de modo que, para nós, o mundo já não conta, mesmo que ainda coexistamos nele; mas em tudo estamos contentados, independentemente de país, lugar, condição, vestimentas, alimento e todas essas coisas.

E, portanto,

somos consolados na tribulação,
nos alegramos no infortúnio,
glorificamos quando vituperados,
temos abundância na pobreza,
somos aquecidos na nudez,
pacientes entre os maus,
vivos na morte.

(JOÃO CALVINO)

sábado, 22 de outubro de 2011

Socialismo o Lixo Esquerdista

video
O Marxismo é uma filosofia baseada na inveja, na ganância, na destruição de uma classe inteira de seres humanos para "redistribuir o seus bens materiais". Isso é exatamente o que significa "colocar os seu coração nas riquezas". O que disse Cristo sobre os bens materiais? Olhai os lírios do campo!


O documentário completo pode ser assistido no You Tube  http://www.youtube.com/watch?v=ewY_k-jFlvk

A Piada do Desarmamento.


Antes e depois de Cristo

A Bíblia conta a história do povo de Israel que na era cristã passa a ser a vida de cada indivíduo que passa bem enquanto obedece a Deus mas que invariavelmente se afasta de Deus e é castigado por isso.

2 Frases

1° O primeiro sentido de bom é aquilo que é pleno de sua própria capacidade de seu próprio ser.


2° Na década de 90 não se pensava que a revolução ia passar na tv a cabo.

Modernidade

Cinco aspectos da modernidade. – tirar Deus do cenário das idéias. – achar que se pode conhecer o outro de maneira clara e por isso que pode se governar os outros, essa idéia é que deu fruto aos sistemas totalitários. – a ação sobre o outro que só poderia ser feita por Deus. – a matematização da vida, achando que tudo pode ser calculado e medido. – virar as costas ao mundo para poder construir um eu efetivo, que ocorreu na época dos nacionalismos e não é de todo ruim.

Deus

Não devemos usar pronomes possessivos como meu ou teu. Pois em última analise tudo é de Deus. Se eu tenho uma casa é porque segundo a sabedoria divina eu trabalhei, ou meu pai, e teve direito a uma recompensa em matéria monetária que posteriormente foi trocado pela casa e isso em quanquer coisa, como também se eu machuco alguém estou machucando a Deus, se alguém me mata está matando algo de Deus e deverá responder perante Deus por lhe causar um prejuízo.